sábado, 20 de novembro de 2010

Comer, Rezar, Amar




Nossa, como o tempo voa. Já faz um tempo que não passo por aqui. E justo eu, que tenho tanto o que falar. Minha vida tá um pouco corrida aqui do outro lado do mundo.

Semana passada eu finalmente assisti o filme. Como sempre, é lógico que o livro é muuuuuito mais interessante. Mas no geral acho que valeu, é uma linda história. Estou curiosa agora pra ver como ela continua (campanha de Natal para ganhar o livro "Comprometida").

E eu por aqui também estou comendo, rezando e amando.

Comer

Meu namorado italiano vive falando em comida. Desde que ele entrou na minha vida, tenho comprado mais queijos, vinhos - e ele tem cozinhado pra mim. Uma vida boa que tem me garantindo alguns quilos a mais.
Falando nisso, fui parada no metrô por um chinesinho que me perguntou em bom inglês: "Você conhece Herbalife?". Vocês imaginam que eu quase deu um beijo nele. Minha salvação - não preciso mais trazer contrabando de diet shake para a China.
No geral como muito bem, obrigada, na China. A comida chinesa é muito boa: muita carne, porco, camarão, macarrão e arroz. Existem algumas coisas estranhas aqui e ali, mas você consegue escapar das esquisitices e viver uma vida normal. Esses dias folheando uma revista até eu fiquei surpresa com os "achados" em um artigo sobre comidas exóticas de Xangai: de placenta de veado a larva frita. Credo. Tá aqui o link da reportagem completa.

Rezar

Um pouco de lado, confesso. Antes de dormir ainda tenho o costume de fazer uma oração para entrar o clima certo, para não dormir com as energias ruins que captamos durante o dia. As vezes caio no sono durante uma oração. A oração é uma ótima ferramenta para elevar minha vibração: quando me sinto meio pra baixo, faço uma oração e me sinto melhor imediatamente. É bom também para as noites de insônia e pesadelos.
Mas as conversas sobre religiosidade com as minhas amigas continuam ativas.

Amar

Ah, isso eu tenho feito, e muito. Estou me permitindo, amando, e tem sido tudo de bom.
Mas aqui cabe um comentário extra sobre o Javier Bardem falando português - "Quequeisso - ô papai!". Pronto, falei.

Gaguega, ei sei que desapareço de vez em quando, mas não some não. Este blog pra mim é uma forma de me manter conectada com o ocidente, com o meu país, os meus amigos e tudo o que me faz falta por aqui.

Um abraço com uma promessa de que volto logo.

Frô.

Um comentário:

Mulheres Apaixonantes disse...

Nossa, Lu, eu assisti este filme dias antes de ir para o Retiro Espiritual, chorei tanto pq me fez lembrar muitas coisas que já vivi e durante o filme entendi o pq não era para eu ir para Espanha, Canadá ou outro lugar e sim ir fazer o retiro e lá tudo se transformou, ou melhor se conectou de novo comigo. Este filme lavou minha alma. Beijos, Bia